[:es]

  • A companhia conta com seis postos de abastecimento de gás para veículos e vai abrir mais cinco, incluindo um em Espanha.
  • O investimento vai atingir os seis milhões de euros e conta com financiamento europeu.


A Dourogás vai abrir mais cinco postos de abastecimento de gás natural veicular (GNV). O investimento ascende aseis milhões de euros e os postos deverão estar operacionais até ao final de 2019. As novas estações vão estar localizadas em Setúbal, na Maia, próximo da fronteira de Vilar Formoso, no distrito da Guarda, junto ao porto de Lisboa e a quinta na cidade espanhola de Salamanca, a 120 quilómetros da fronteira portuguesa.
Dos seis milhões de euros totais previstos para a abertura dos novos postos, 3,5 milhões de euros correspondem a capitais próprios da Dourogás, enquanto 2,5 milhões correspondem a financiamento da Comissão Europeia no âmbito do projecto Eco-Gate, que tem como objectivo promover a mobilidade a gás natural através da criação de postos de abastecimento nas principais rotas de transporte europeias.
“Fomos contemplados com financiamento para novos postos em Portugal. As melhores localizações para colocar os postos são precisamente estas”, disse ao Negócios Nuno Afonso Moreira, presidente da Dourogás. A empresa já conta com seis postos, no Carregado, Loures, Mirandela, Gaia Sul – Picoto, Vila Real, Elvas-Caia. “Já temos um posto a norte de Lisboa, faltava um posto a sul de Lisboa Já temos uma sul do Porto, faltava um a norte do Porto. Temos um posto na fronteira de Elvas, faltava um posto na fronteira da Guarda”, acrescenta o líder do grupo Dourogás.
Por outro lado, “a mobilidade é ibérica, por isso faz todo o sentido avançarmos com um posto em Espanha. Os transportadores portugueses são bastante fortes nos transportes internacionais”, afirma O responsável da Dourogás sublinha ainda a importância do gás natural para reduzir as emissões poluentes nas cidades, tendo vindo a investirem postos de abastecimento desde 201L ” Percebe-Se hoje que o gás natural tem um papel muito importante na purificação do ar das cidades” e “este é um caminho sem retorno”, defende.
O gás natural veicular (GNV) divide-se em duas vertentes gás natural comprimido (GNC) que se destina a automóveis ligeiros e autocarros de transporte de passageiros, e gás natural liquefeito (GNL) que se destina aos camiões pesados de transporte de mercadorias, alcançando autonomias de 1.200 quilómetros, como um camião a gasóleo.
A Dourogás vendeu 4,8 milhões de euros de gás natural para veículos em 2016 e espera aumentar o volume de vendas para os seis milhões de euros este ano. A empresa tem uma quota de mercado superior a 90% de GNV em Portugal e lança um apelo a empresas que operam no sector dos combustíveis para formar parcerias. “Gostaríamos de ter também alguns parceiros, que hoje estão activos no sector do diesel. Esperamos que a muito breve prazo possam começar a investir, gostaríamos de ter a ajuda de outros para investir em infraestruturas e mudar o panorama nacional do sector dos combustíveis”, diz o líder da Doumgás.
Fuente: jornaldenegocios.pt[:]

Deja una respuesta